© Nuno Perestrelo

Mistica e Simbologia

Quando um Pioneiro/Marinheiro chegar ao final da passagem pela secção, deverá ter assumido o seu papel na construção da Igreja de Cristo.


A Mística proposta para Pioneiros/Marinheiros resume-se na frase: A Igreja em Construção.

Pressupondo o reconhecimento de que o Criador é a fonte de todos os dons, considerando que Deus nos colocou neste mundo para realizar um projeto de felicidade para toda a Humanidade, e tendo por base, ainda, que a nossa participação nesse projeto tem origem na Aliança que Deus firmou com os Homens, o Pioneiro/Marinheiro começa a descobrir as consequências de ter caminhado em direção à Terra Prometida. Ou seja, é hora de amadurecer a fé que professa, e é altura para redescobrir o significado do seu batismo, mediante o qual foi configurado com Cristo.

O Pioneiro/Marinheiro descobre que ser membro de Cristo faz dele artífice da Nova Humanidade. Descobre ainda que é parte de um todo mais vasto e que, no respeito absoluto pela sua individualidade, ele é membro da Igreja, Corpo Místico de Cristo.

Provavelmente, será mais imediato o reconhecimento do valor da comunidade, numa escala menor, isto é, na equipa/equipagem. Depois desse reconhecimento, seguir-se-á a abertura aos outros e, num nível mais amadurecido, a consciência de que cada batizado é membro ativo da Igreja e que, portanto, tem um papel útil, necessário e insubstituível na Comunidade Cristã. É importante recordar que a Mística representa um ideal a alcançar no final da passagem pela terceira Secção.

Esta Mística sugere ao Pioneiro/Marinheiro que ele é chamado a colocar os seus talentos ao serviço da Comunidade e a assumir a tarefa de ser construtor de comunhão. Tem, por isso, um sentido profundamente eclesiológico.


Quem é o Pioneiro?
É aquele que, depois da descoberta do mundo que o rodeia, é assolado por um sentimento de insatisfação, de um ímpeto de fazer diferente, de mudar, de inovar, que o leva a soltar-se do que considera supérfluo para pôr mãos à obra na construção e concretização do seu sonho, das suas ambições.


Rosa dos Ventos 
O símbolo identificativo da terceira Secção é a Rosa dos Ventos. Símbolo do rumo certo, da boa escolha e da decisão ponderada, é o símbolo daquilo que é a vida do Pioneiro/Marinheiro, nas suas escolhas, na sua atitude, no que quer dos outros. Portador de vontades, agregador de desejos e de disponibilida­de, o Pioneiro/Marinheiro tem a vontade de, ele próprio, mudar o mundo e arriscar.


Gota de Água 
Símbolo da pureza, símbolo do Pioneiro/Marinheiro, do jovem enquanto pessoa, indivíduo, que é transparente – consigo próprio e com os outros; que é alento e alimento para os que o rodeiam; que faz parte de um grupo juntando-se a outras gotas e tornando-se torrente.


Machada
Símbolo da construção de um mundo novo e da ação, representa aquilo que é o potencial do Pioneiro/Marinheiro, das suas capacidades, da sua energia transformadora, do resultado final da combinação do que quer com o que sabe deixando obra feita.


Ichtus
O peixe simboliza a presença de Jesus Cristo entre os homens. A palavra «peixe», em grego, escreve-se icthus e, esse símbolo foi adotado pelos primeiros cristãos perseguidos com um sentido catequético/simbólico, em que cada letra é a inicial de uma palavra: «Jesus Cristo, Filho de Deus Salvador» (Iesus Christos Theou Uios Soter).


Azul do Mar: a profundidade, o mistério, a energia. Do Céu: o infinito, a excelência, a espiritualidade. Do Horizonte: o desafio, a distância, a eternidade.

Ultima atualização 21.01.2017 Visualizações 32115
Voltar Partilhar