© Ricardo Perna

Modelos de Vida

Além do patrono de Secção, apresentam-se, como «modelos de vida», algumas figuras da Igreja Católica que incarnaram, na sua vida, aspetos essenciais da Mística e do Imaginário. Podem ser apresentados outros «modelos», desde que tenham ligação à Mística da Secção e a sua escolha seja devidamente aprovada pela competente autoridade eclesiástica local, geralmente o Assistente de Agrupamento. Os «modelos de vida» sugeridos são: Abraão, Moisés, David (figuras bíblicas); Santo António, Santa Isabel de Portugal (figuras da História da Igreja)


Abraão foi um dos patriarcas do Antigo Testamento. O Senhor fez com ele uma Aliança, em que lhe prometeu a posse futura de toda a terra de Canaã e uma descendência infindável, sinal da bênção de Deus. Abraão é considerado nosso «pai» na fé. Como Abraão, também os Exploradores e Moços são convidados a fazer caminho, no acolhimento da Aliança e da vontade de Deus.


Há poucas informações certas sobre Moisés, embora a sua existência seja inegável. O momento determinante da sua vida aconteceu quando o Senhor lhe apareceu na sarça ardente, escolhendo-o para fazer sair o povo hebreu do Egipto, conduzindo-o à Terra Prometida. Como Moisés, os Exploradores e Moços aceitam pôr-se a caminho, certos de que Deus cumpre sempre as suas promessas.


Natural de Belém, na Judeia, David veio a ser rei de Israel e Judá. Sabe-se que teria jeito para a música, e que era um excelente guerreiro. A sua importância prende-se essencialmente com o facto de ter sido o fundador de um estado unificado e independente, que englobava todo o Israel, estado esse que, apesar de ter subsistido pouco tempo, ficou para sempre na memória dos israelitas como um tempo ideal. Como David, os Exploradores e Moços começam a descobrir que são parte de um Povo que reconhece Deus como único Senhor.


S. António nasceu em Lisboa em 1195 e morreu perto de Pádua, na Itália. Motivado pelo desejo de ser missionário, juntou-se aos frades franciscanos e foi enviado, em missão, para Marrocos. Por motivos de saúde regressou à Europa, tendo vivido algum tempo num eremitério na Itália. Pouco tempo depois descobriu o seu invulgar dom de pregar. Como S. António, os Exploradores e Moços procuram encontrar a sua vocação, sabendo que têm de percorrer etapas para a descobrir. 


A rainha S. Isabel nasceu em 1271 e faleceu em 1336. Com 12 anos de idade casou-se com o rei D. Dinis de Portugal. Enquanto esteve casada, D. Isabel procurou apoiar sempre as iniciativas de ajuda aos mais necessitados, nomeadamente a criação de um hospital, uma «casa de refúgio» para mulheres e um orfanato. Depois de enviuvar, em 1325, Santa Isabel dedicou-se inteiramente ao serviço de Deus e de todos os que dela precisaram. Como S. Isabel, os Exploradores e Moços descobrem que o caminho em direção à Terra Prometida se encontra mais facilmente quando se faz o bem aos outros. 

 




 







Ultima atualização 24.11.2016 Visualizações 12751
Voltar Partilhar