© Nuno Perestrelo

Corpo Nacional de Escutas

Em 1923, nasce uma nova associação, fundada por membros da Igreja Católica que se inspiraram no testemunho da ação dos escuteiros católicos de Itália. Desde então, o Corpo Nacional de Escutas cresceu e difundiu-se rapidamente por todo o território nacional, tendo oferecido oportunidades de crescimento pessoal a sucessivas gerações de jovens na sociedade portuguesa. O CNE sobreviveu às ameaças do Estado Novo e reforçouse com a instalação da democracia em 1974. O CNE tem sabido adaptar-se aos novos tempos, renovando a sua proposta pedagógica sempre que necessário, tal como aconteceu em 2009. Da mesma forma, também a formação ministrada aos seus responsáveis adultos tem sido sujeita a atualizações e melhorias constantes, sendo reconhecida internacionalmente pela Organização Mundial do Movimento Escutista. O CNE dispõe de um museu escutista em Lisboa, onde pode ser visitado um vasto espólio de objetos, recordações e documentos sobre o Escutismo em Portugal.


O que somos? 

O CNE é membro da Organização Mundial do Movimento Escutista (OMME, www.scout.org) desde 1929. O CNE é uma instituição reconhecida de Utilidade Pública pelo Governo Português. O CNE é um movimento da Igreja Católica e assume, com orgulho, a sua responsabilidade cristã na sociedade. O CNE é também membro:
• da Federação Escutista de Portugal (FEP);
• da Comunidade de Escutismo Lusófono (CEL);
• da Conferência Internacional Católica do Escutismo (CICE).
• de vários organismos e instituições da Igreja, da sociedade e do mundo escutista.

Somos um movimento de educação não formal de jovens, sem fins lucrativos, não-político e não-governamental. Onde estamos e quantos somos Atualmente com mais de 73 000 escuteiros em 1100 agrupamentos locais no território continental, regiões autónomas dos Açores e Madeira, Genebra e Macau, o CNE é a maior associação escutista e a maior associação de juventude portuguesa.

Os nossos associados distribuem-se pelo género feminino e masculino em proporções idênticas. Nos nossos agrupamentos e estruturas intermédias temos mais de 17 mil Lobitos, cerca de 20 mil Exploradores, cerca de 14 mil Pioneiros, mais de 7 mil Caminheiros e mais de 13 mil Dirigentes. O CNE tem tido um crescimento contínuo do seu efetivo, o que, tendo em conta o decréscimo de natalidade, é revelador da aceitação do Escutismo na sociedade portuguesa.

No CNE as crianças e jovens estão divididos em quatro secções que correspondem a quatro faixas etárias diferentes. 


Na idade de Lobito (6-10 anos), o importante é brincar com os outros, no meio da alegria e da imaginação, com um primeiro contacto com a natureza. O Lobito gosta de inventar jogos, de brincar, de colecionar toda a espécie de coisas. A sua curiosidade é inexcedível. O Escutismo propõe-lhe “Caçadas” apaixonantes em torno de interesses comuns, apoiadas por contos e lendas conhecidos. O Livro da Selva é o seu imaginário e São Francisco de Assis é o seu patrono.

Os Exploradores/Moços estão na idade de querer descobrir o mundo e a vida, é a idade da aventura, dos projetos fabulosos, dos heróis invencíveis, da penetração nos mistérios da natureza. O Escutismo propõe-lhes a “Aventura”/”Expedição”, decidida em conjunto e vivida por todos, na qual a pessoa de um herói é ao mesmo tempo um desafio e o cimento necessário à coesão do grupo. São Tiago é o seu patrono.

Entre os 14 e os 18 anos é a idade do grande desafio: os jovens querem dar provas do que são capazes, querem ver reconhecida a sua personalidade, desejam conhecer os outros a fundo, viver em grupo e, com eles, “ajudar a transformar o mundo”. O “Empreendimento”/“Cruzeiro” é uma ação criada, enriquecida e vivida em grupo, onde muito se descobre e muito se constrói, onde a função e a responsabilidade de cada um, tal como a cooperação entre equipas, são igualmente indispensáveis para o êxito final. São Pedro é o seu patrono.

Entrando na fase adulta, imagina-se a construção de um Homem-Novo que queira empreender uma caminhada que sabe nem sempre ser fácil, mas que tem a certeza de ser a correta e por isso opta por ela. Entre os 18 e os 22 anos, empreendem uma Caminhada/ /Companha que lhes permite ousar através da ação, intervir na comunidade trilhando percursos comuns de crescimento e de autonomia. São Paulo é o seu patrono.

Ultima atualização 28.11.2016 Visualizações 470
Voltar Partilhar