Distinção Açores - Mai. 2016

Junta Regional dos Açores do Corpo Nacional de Escutas distinguida por Mérito Cívico

A Junta Regional dos Açores do Corpo Nacional de Escutas recebe a 16 de maio, em Vila Franca do Campo, S. Miguel, a Insígnia Autonómica de Mérito Cívico, atribuída pela Assembleia Regional dos Açores

Lisboa, 13 de maio de 2016

A 16 de maio, e em representação dos cerca de 4.000 escuteiros açorianos, o Chefe Regional Manuel Pires Luís recebe a imposição da Insígnia Autonómica de Mérito Cívico, que distingue o escutismo na Região dos Açores.

A Insígnia Autonómica de Mérito Cívico visa distinguir atos ou serviços meritórios praticados por cidadãos portugueses ou estrangeiros no exercício de quaisquer funções públicas ou privadas, e é destinada a agraciar aqueles que, em resultado de uma compreensão nítida dos deveres cívicos, contribuíram, de modo relevante, para os serviços à comunidade, nomeadamente nas áreas de ação social e cultural.

A atribuição é feita por decisão parlamentar, e a sua imposição tem lugar no Dia da Região, em sessão solene presidida pelos Presidentes da Assembleia Legislativa e do Governo Regional dos Açores, que ocorrerá em Vila Franca do Campo, São Miguel.

A Junta Regional dos Açores
Constituída a 15 de agosto de 1925, a Junta Regional dos Açores do Corpo Nacional de Escutas notabilizou-se na área da Proteção Civil, nas intervenções quando do sismo/terramoto de 1 de Janeiro de 1980 na Ilha Terceira, S. Jorge, Graciosa e Pico; aquando a tragédia, enxurradas e derrocadas, ocorridas na freguesia da Ribeira Quente, em S. Miguel, em 1997; no sismo/terramoto de 1998 no Faial, Pico e S. Jorge; e recentemente, na Ilha Terceira, nas enxurradas nas freguesias de Agualva, Vila Nova e Porto Judeu.

O Escutismo nos Açores tem colaborado desde a sua criação, com meios humanos e materiais disponíveis, nas ações de Prevenção, Segurança e Proteção Civil, nomeadamente na informação e educação das populações e participação ativa em ocasiões de calamidade e catástrofe. Tem assim, uma relação muito próxima com o SRPCBA – Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, sendo a Junta Regional parceira nesta área, procurando estar habilitada e preparada, em caso de necessidade, para situações de emergência.

O Corpo Nacional de Escutas nos Açores
Nesta região autónoma, é a Junta Regional dos Açores que tem autonomia administrativa e financeira, plasmada nos Estatutos e Regulamentos da Associação, que representa, promove, desenvolve e assegura a gestão e a implementação das atividades escutistas e políticas gerais e sectoriais do Escutismo.


O Escutismo está implantado em todas as ilhas, representando, à semelhança do resto do país, a maior associação de juventude dos Açores, com cerca de 4.000 elementos, 82 Agrupamentos (comunidades locais) no ativo, repartidos pelas nove ilhas, 7 Juntas de Núcleo e a Junta Regional.

A JRA está inscrita no Registo Regional de Associações Juvenis, sendo parceira na Área da Juventude, com participação no Conselho de Juventude dos Açores e nos vários Conselhos Locais de Juventude, através dos Agrupamentos e Juntas de Núcleo, beneficiando dos programas e projetos previstos para o associativismo juvenil. É ainda considerada na região como uma associação ambiental, inscrita no Registo Regional de Organizações Não Governamentais de Ambiente (ONGA), com participação no CRADS - Conselho Regional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, com representação nos vários parques de Ilha e em várias comissões consultivas sobre a área.

O Corpo Nacional de Escutas O Escutismo é um Movimento mundial, fundado em 1907, em Inglaterra, por Baden Powell, com o intuito de proporcionar aos jovens uma formação global, de modo a serem cidadãos participativos e responsáveis nas suas comunidades. O Escutismo é um movimento educacional e formativo, uma escola de ensino não-formal, criado com o propósito de contribuir para a educação integral das crianças e jovens de ambos os sexos, baseado na adesão voluntária a um quadro de valores expressos na Promessa e Lei escutistas, através de um método original que permite a cada jovem ser protagonista do seu próprio crescimento, para que se sinta plenamente realizado e desempenhe um papel construtivo na sociedade.

O Corpo Nacional de Escutas (CNE) - Escutismo Católico Português, foifundado em 27 de Maio de 1923, e é a maior associação de juventude em Portugal, com mais de 73.400 Escuteiros, distribuídos por cerca de 1030 Agrupamentos, em todas as regiões do país.

O CNE é uma instituição reconhecida de Utilidade Pública pelo Governo, desde 1983. É um movimento da Igreja Católica, cuja fé e doutrina assume, proclama e defende, a ela vinculado nos termos da Carta Católica do Escutismo.

O Corpo Nacional de Escutas tem como órgão de informação oficial a “Flor de Lis”, que apareceu em Fevereiro de 1925, sob a forma do jornal e em 1945, apresentada em forma de Revista, assim permanecendo até aos dias de hoje. Nos Açores o meio de comunicação regional que nasceu em 1982, sob a forma de folhetim, foi“O Açor”, hoje Newsletter, com divulgação via Internet.

Mais informações:
Gabinete de Imprensa do CNE
gi@cne-escutismo.pt
+351 927 246 911

Ultima atualização 28.11.2016 Visualizações 1246
Voltar Partilhar