© Nuno Perestrelo

Chefe de Clã

O Caminheirismo é o culminar da proposta educativa do CNE. Por outras palavras, é aqui que termina a formação de um escuteiro.

O jovem que chega aos Caminheiros e entrou como “pata-tenra” na Alcateia sempre sonhou envergar o lenço rubro. Se isso acontecer em Agrupamentos estáveis, com recursos adultos suficientes e onde existe uma forte vivência de clã, esse desejo será ainda mais vincado. O orgulho de envergar o lenço rubro num clã (não confundir com mero grupo de amigos) deve ser algo indiscritível e único. É aqui que a adolescência começa a ser passado e a entrada na vida adulta torna-se efectiva. É aqui que o grande desafio de ser Homem-Novo ganha todo o sentido. É aqui que a "Fraternidade do Ar Livre e do Serviço" (definição de Caminheirismo para B-P) tem de ser vivida na sua plenitude

É aqui onde a presença de um Dirigente se torna determinante para concluir a "lapidação do diamante" que anos antes entrou na Alcateia, Expedição ou Comunidade. O CNE tem como missão a formação integral dos jovens de modo a serem elementos ativos na construção da nossa sociedade.

O Chefe de Clã é peça fundamental nesse processo. Só por isso tem de ser um indivíduo excecional entre os seus pares. Trabalhar com jovens adultos implica ter uma série de conhecimentos, competência e atitudes para além das definidas no "Perfil do Animador Adulto" no Manual do Dirigente.

Assim o Chefe de Clã deve ser sempre exemplo. Só pode exigir se cumprir. Deve ser um irmão mais velho, um companheiro de jornada que já fez esse caminho. Por isso, deve também manter distanciamento dos “exageros” naturais da idade dos Caminheiros.

Todos sabemos que é importante existir autonomia nesta idade, mas isso não quer dizer desacompanhamento! O Chefe de Clã deve estar, mesmo quando não está. É a ausência pedagógica no seu esplendor. Há momentos em que deve dinamizar e motivar os seus elementos, um Clã motivado é capaz de superar todos os "im-possíveis". Por outro lado, também deve procurar sempre que os "seus" caminheiros consigam ir para além daquilo que é confortável e que querem fazer, mesmo que isso provoque alguma tensão no seio do Clã...por vezes é necessário cair, para se levantar e ver de outro modo, disso é exemplo São Paulo, patrono da 4.ª secção.

Para além de tudo isto, deve saber ouvir e estar disponível escutar os caminheiros.

Como é fácil perceber, o Chefe de Clã, tem de participar na vida de clã, não deve ser aquele dirigente que tem pouco tempo ou que tem pouca experiência de vida.

Estar com a 4.ª pode ser, por vezes, uma tarefa de Hércules, mas um Dirigente que seja exemplo em Cristo, que tenha maturidade, estabilidade emocional e familiar, sendo intelectualmente e culturalmente esclarecido, certamente cumprirá a sua missão com sucesso.

O Chefe de Clã deve ter a chama necessária para iluminar os caminheiros e deixar que eles brilhem intensamente e sigam o seu caminho nas "bifurcações" da vida.

--------

Perfil do Animador Adulto   
In Manual do Dirigente

Ultima atualização 24.11.2016 Visualizações 5636
Voltar Partilhar