© Manuel Madeira

Vida na Natureza

A Vida na Natureza é, desde a sua génese, um dos elementos mais marcadamente identificadores do método escutista enquanto proposta pedagógica. Foi com base na exploração da Natureza e na vivência em comunhão com a Natureza, aproveitando os recursos desta e os benefícios do ar livre, que Lord Baden-Powell of Gilwell deu os primeiros passos no desenvolvimento do Escutismo. Desde então, a Natureza constituiu sempre espaço e ambiente privilegiado para o desenvolvimento das atividades escutistas, permitindo às crianças e jovens o confronto com os seus próprios limites, o aproveitamento dos recursos naturais, a aprendizagem da vida com simplicidade, uma vivência saudável ao ar livre.

Sendo a Natureza – o campo, os cursos de água e o mar, estes últimos sobretudo no caso da vertente marítima do Escutismo – o espaço privilegiado para o desenvolvimento de atividades escutistas, uma adequada vivência nestes ambientes exige um conjunto de conhecimentos técnicos, de procedimentos de segurança e uma postura ética particulares, que a cada Escuteiro cumpre saber e exercer, na medida da sua idade e maturidade, no desempenho das suas atividades.

Assim, aos elementos de cada secção são disponibilizados materiais pedagógicos que permitem a aquisição de conhecimentos técnicos, éticos e de segurança – incluindo os específicos para a vertente marítima do Escutismo – possibilitando-lhes viver plenamente a atividade típica da sua secção. Ao Dirigente compete criar oportunidades educativas, em campo, para que estas técnicas possam ser aplicadas e desenvolvidas.

Foi assim ao longo de 100 anos e continua a ser assim, na Natureza – em atividades típicas como construções em campo, jogos de pista, acampamentos, raids, hikes, etc. – que se fez e faz Escutismo, preservando e retirando o máximo proveito pedagógico de uma das mais interessantes especificidades do método escutista.

Ultima atualização 07.11.2016 Visualizações 4630
Voltar Partilhar