© Gonçalo Vieira

Aprender fazendo

O Escutismo tem como objetivo ajudar as crianças e os jovens a desenvolver integralmente as suas capacidades, para que se tornem membros ativos e responsáveis na sua comunidade. Desenvolvimento esse que resulte progressivamente em maior autonomia da criança ou do jovem. Para tal, esta não pode apenas ouvir dizer ‘como é que se deve fazer’ ou ver os outros a atuar. Para aprender é necessário experimentar, sentir, estar nas situações. Isto porque a aprendizagem é um processo dinâmico e ativo.

O jogo – num sentido amplo – é, pois, elemento essencial do Escutismo. Nele, a criança ou o jovem encontram desafios e obstáculos, desenvolvem capacidades e solidariedades, aprendem e crescem com os outros e uns com os outros.

As atividades escutistas são, assim, iniciativas e ações, planeadas e desenvolvidas pelas crianças e jovens, com acompanhamento adulto, que consubstanciam o jogo escutista e respondem às suas aspirações de descoberta e realização, contemplando uma sequência de oportunidades educativas diversificadas nas fases da escolha, planeamento, concretização e avaliação.

Agente ativo na escolha dos projetos que quer realizar – motivado pelas suas escolhas, pelos pares, pela saudável competição – a criança ou o jovem envolve-se na sua realização, o que significa que vai aprender pela ação, percebendo a utilidade do que aprendeu [o que o motiva para aprender mais], desenvolver as suas capacidades e descobrir habilidades e gostos que, de outro modo, provavelmente não descobriria.

Agente ativo na escolha dos projetos que quer realizar – motivado pelas suas escolhas, pelos pares, pela saudável competição – a criança ou o jovem envolve-se na sua realização, o que significa que vai aprender pela ação, percebendo a utilidade do que aprendeu [o que o motiva para aprender mais], desenvolver as suas capacidades e descobrir habilidades e gostos que, de outro modo, provavelmente não descobriria.

Em geral, um projeto é um conjunto determinado de ações inter-relacionadas que se planeiam e implementam com vista a atingir um objetivo último num determinado prazo. Neste contexto, um projeto escutista caracteriza-se por:

  • ser um desafio coletivo;
  • ter uma meta clara e um horizonte temporal;
  • envolver quatro fases principais;
  • estar baseado no uso do método escutista;
  • incorporar uma variedade de oportunidades educativas;
  • ter em conta interesses, talentos, capacidades e necessidades distintas;
  • procurar que cada criança e cada jovem esteja comprometido no atingir do objetivo comum através do seu esforço pessoal.

Em face disto, o valor educativo da metodologia do projeto reside em:

  • desenvolver a capacidade de dialogar e trabalhar em cooperação com outros;
  • contribuir para garantir uma genuína participação dos jovens nas decisões que lhes dizem respeito e dar-lhes esse “treino”;
  • desenvolver a responsabilidade;
  • desenvolver o sentido de “propósito” [efeito motivador];
  • permitir a descoberta de talentos ou a sua busca;
  • permitir treinar competências de diversa ordem;
  • criar hábitos de funcionamento “em projeto” [úteis para a vida contemporânea].

As designações do projeto, nas diversas secções, são as constantes na tabela abaixo.

Nos Agrupamentos em que o Escutismo é vivenciado na sua vertente marítima, as designações do projeto em cada uma das secções tomam a forma constante da tabela abaixo.

Ultima atualização 07.11.2016 Visualizações 5768
Voltar Partilhar