Organização do sistema

Especialidades
As especialidades constituem oportunidades de desenvolvimento pessoal, sendo – sempre que possível e aplicável – transversais a todas as secções e o mais variadas possível, de modo a ir de encontro à diversidade e extensão dos interesses pessoais de cada criança e jovem.

As especialidades podem começar a ser trabalhadas assim que a criança ou jovem, tendo concluído a etapa de adesão – Pata-Tenra, Apelo, Desprendimento ou Caminho – faça a sua Promessa.

O objectivo é que cada criança ou jovem desenvolva as suas capacidades e se torne, realmente, habilitado em determinada temática, pelo que a obtenção de uma especialidade, e ainda mais a sua continuidade ao longo das secções, deve ser encarada numa perspectiva de aprofundamento e não apenas como uma aquisição superficial de alguns conceitos.

Áreas
Neste sistema as especialidades estão agrupadas em áreas, conjuntos temáticos de propostas de especialidades relacionadas entre si. Tal como as especialidades, também estas áreas são transversais a todas as secções. Uma criança ou jovem, ao longo do seu percurso escutista, poderá, assim, explorar a área (e a diversidade de especialidades que esta oferece) com a qual mais se identifica; ou, então, explorar especialidades em áreas diferentes, podendo ir apurando a sua identificação vocacional ao longo desse mesmo percurso. Compete ao dirigente saber orientar a criança ou jovem nas suas escolhas.

Em cada secção, a criança ou jovem não se deve envolver em mais que três áreas distintas, obrigando deste modo a um consciente discernimento, na procura das verdadeiras apetências de cada individuo.

Ao alcançar uma especialidade, a criança ou jovem fá-lo no contexto de uma área, que deve ser identificada, dado existirem algumas especialidades comuns a duas ou mais áreas (i.e. as áreas intersectam-se, pois a realidade não é compartimentável, pelo menos de forma estanque).

O sistema de especialidades compreende 17 áreas; são elas: Ambiente, Ar, Artes, Artes e Ofícios, Ciências, Comunicação, Comunidade, Cultura, Desporto, Economia, Mar, Mundo Global, Mundo Rural, Religião, Saúde e Bem-estar, Tecnologia e Vida em Campo.

Requisitos das Especialidades
Para se alcançar uma especialidade é necessário cumprir os seis requisitos para ela estipulados, os quais se dividem em dois grupos: requisitos base e requisitos avançados.

Mecanismos de verificação e qualificação de especialidades
A verificação consiste na aferição do cumprimento dos requisitos de uma especialidade, a qual pode ser interna (pela Equipa de Animação e/ou outros elementos do Agrupamento de reconhecida competência em determinadas áreas) ou externa (por pessoas ou entidades especializadas - parceiros). Em alguns casos específicos os próprios padrinhos poderão funcionar como entidade verificadora.

A qualificação, considerando o parecer da pessoa ou entidade verificadora, consiste no reconhecimento do título de especialista e do direito ao uso da respetiva insígnia, sendo da competência exclusiva do Conselho de Guias. A qualificação para o uso da insígnia de especialidade é exarada em Ordem de Serviço de Agrupamento e registada no SIIE.

As Insígnias
A cada área corresponde uma insígnia, a qual serve de base à aposição das insígnias de especialidades. A cada especialidade corresponde uma única insígnia, independentemente da área em que foi obtida a qualificação. As insígnias de especialidade usam-se sobre a insígnia da área correspondente, preenchendo um dos seus cinco espaços.

As insígnias de área e especialidade usam-se na manga direita da camisa nos termos do regulamento aplicável.

Transição de Secção
Ao transitar de secção, a criança ou jovem, retira do uniforme todas as insígnias de especialidades que tenha alcançado na secção anterior.

Às crianças ou jovens que pretendam prosseguir alguma especialidade alcançada na secção anterior, basta, após a Promessa na nova secção, cumprir os requisitos avançados da mesma, ficando neste caso dispensados de cumprir os requisitos de base.

A integração entre requisitos das várias secções, constitui-se também, como um claro apelo ao aprofundamento vocacional da criança ou jovem ao longo das várias etapas do percurso escutista.

Apadrinhamento
As especialidades podem igualmente ser um elo de ligação com a sociedade, refletindo as realidades nesta existentes e beneficiando de certificação por entidades reconhecidamente especialistas na área. Segundo a classificação adotada das áreas, existirá um esquema de apadrinhamento de especialidades por entidades internas e, sobretudo, externas ao Corpo Nacional de Escutas, gerido pela Secretaria Nacional Pedagógica.

O papel de uma entidade que assuma o apadrinhamento de uma especialidade será:

  • Colaborar na criação e actualização dos requisitos associados à respectiva especialidade, atestando assim a sua qualidade.
  • Facilitar a divulgação de informação relevante para quem deseje trabalhar naquela especialidade, seja fornecendo materiais pedagógicos seja facultando visitas, estágios, ou outras formas de participação.
  • Eventualmente, colaborar no processo de verificação da especialidade ou de alguns dos seus requisitos.

O apadrinhamento de uma especialidade poderá incluir a assunção dos custos com as respetivas insígnias e certificados.

Atualização
Os conteúdos associados aos requisitos de cada especialidade deverão ser revistos a cada cinco anos, recorrendo-se para isso, quando existam, ao apoio dos padrinhos. A possibilidade de criação de novas áreas ou especialidades poderá ser, igualmente, equacionada.

Numa lógica de acompanhar a evolução da sociedade e de ir ao encontro dos desejos e interesses das crianças e dos jovens, é deixada aos associados a liberdade de apresentação de propostas de criação de novas especialidades ou áreas, ou de revisão das existentes.

Informação
Tendo em vista a fácil circulação e permanente atualização da informação, a descrição e conteúdos das áreas e especialidades estará disponível online, podendo os associados consultar e descarregar os requisitos de cada especialidade, encontrar entidades e apoios ao desenvolvimento das suas ações e partilhar as suas ideias para a atualização e reformulação de áreas ou especialidades.

Ultima atualização 06.11.2016 Visualizações 1884
Voltar Partilhar