Gestão de Adultos no Escutismo

A gestão de Adultos no Escutismo visa garantir a adequada dotação, de cada instância do Corpo Nacional de Escutas, dos Adultos no Escutismo necessários à boa prossecução da sua missão educativa e à realização proficiente das atividades de governança e suporte da Associação, bem como apoiar cada Adulto no Escutismo no exercício das funções para que seja designado e promover a excelência do seu desempenho.

Elementos da Gestão de Adultos

A gestão de Adultos no Escutismo incorpora os seguintes processos: 


A nomeação é o ato pelo qual o Corpo Nacional de Escutas atribui a cada Adulto no Escutismo um cargo, função ou tarefa específicos.

O Regulamento Geral do Corpo Nacional de Escutas define a responsabilidade, o mandato, os requisitos e os procedimentos de designação, os quais se podem revestir da forma de eleição ou de indigitação.

A eleição rege-se pelos requisitos de elegibilidade regulamentarmente estatuídos.

A indigitação deve ter em consideração os perfis funcionais e as competências pessoais associados a cada cargo, função ou tarefa, os quais devem servir de referência na escolha do indigitado, bem como a vocação pessoal deste.

No caso particular dos Assistentes a indigitação é da competência da respetiva autoridade eclesiástica.


A animação consubstancia-se na motivação e acompanhamento que o Corpo Nacional de Escutas consagra a cada Adulto no Escutismo.

Esta perspetiva de animação tem como base uma conceção personalista do Adulto no Escutismo, em que cada um é considerado como pessoa, única e singular, cujo desenvolvimento importa acarinhar.

A Equipa de Animação da Unidade e agregações similares noutras instâncias da Associação devem funcionar como espaços de encontro, partilha, comunhão e crescimento pessoal e comunitário.

A motivação pessoal de cada Adulto no Escutismo deve ser considerada no quadro da gestão de equipas e afetação de tarefas e responsabilidades.

A cada Adulto no Escutismo cumpre igualmente cuidar e promover a sua própria motivação, a qual se deve fundar, primeiro que tudo, na identificação com os ideais, valores e missão educativa do Corpo Nacional de Escutas.

Ao Corpo Nacional de Escutas, em cada uma das suas instâncias, cumpre garantir o acompanhamento pessoal de cada Adulto no Escutismo, assegurando-lhe o bem estar e apoiando-o no exercício do seu papel na missão educativa da Associação.

Este apoio, que pode versar conteúdos materiais, técnicos, pedagógicos, pessoais ou espirituais, deve visar a promoção da excelência no exercício do seu contributo para a missão educativa da Associação, bem como o seu desenvolvimento pessoal.


A avaliação constitui um importante instrumento de promoção do desenvolvimento pessoal do Adulto no Escutismo, bem como uma ferramenta ao serviço da busca por este da excelência no desempenho do seu papel na missão educativa do Corpo Nacional de Escutas.

A avaliação deve constituir um exercício regular de aferição do desenvolvimento pessoal e progresso no perfil, constituindo ponto de partida na definição de necessidades de formação.

A avaliação radica sempre na autorreflexão pessoal.
A Equipa de Animação, bem como todas as outras equipas, em qualquer nível da Associação, devem ser espaços privilegiados de exercício comunitário de avaliação.

 

Ultima atualização 20.11.2016 Visualizações 1923
Voltar Partilhar